Paranambuco apresenta: Orun Ayê com oficinas e shows gratuitos no Portão Cultural!

Paranambuco lança projeto Orun Ayê, que propõe fortalecer a identidade cultural brasileira por meio da música. Grupo realiza série de oficinas e shows gratuitos em Curitiba. A primeira minitemporada acontece nos dias 23, 24 e 25 de fevereiro, no Portão Cultural. Vem saber mais no NA-NU!

A partir de fevereiro de 2018 o projeto Paranambuco apresenta: Orun Ayê desenvolve uma série de ações com entrada gratuita para aproximar o público curitibano de ritmos tradicionais brasileiros. Serão promovidas três oficinas seguidas de pocket shows, além de seis shows do Paranambuco com participações especiais. A primeira minitemporada acontece nos dias 23, 24 e 25 de fevereiro, no Auditório Antônio Carlos Kraide, no Portão Cultural.

Criado em 2010, o Paranambuco é formado pelo pernambucano Matheus Braga, a paranaense Jô Nunes, o paranaense Bruno Klammer, o mineiro Fred Pedrosa e o catarinense José Navarro. O trabalho autoral surgiu a partir do estudo da musicalidade tradicional brasileira, sendo parte dele dedicada aos Orixás cultuados na Umbanda.

“Toda manifestação cultural tem o objetivo de fazer permanecer uma história. Então, ao reunir e apresentar diferentes regionalidades, nossa intenção é fortalecer a identidade do Brasil. Por meio de ritmos brincantes e da interação com a plateia, queremos propor que a diversidade do nosso país seja valorizada.” –  Matheus BragaA primeira minitemporada começa no dia 23 de fevereiro, às 14h, com a oficina Brincando Coco e um pocket show. Os participantes terão contato com a história do coco, além de aprender a tocar alguns instrumentos e fazer uma roda de dança. Com duração de 1h30, a oficina é aberta a públicos de todas as idades e não requer inscrição prévia.

No dia 24, o show ocorre às 20h; e, no dia 25, às 19h. O grupo traz o repertório do álbum Orun Ayê, com ritmos como baião, coco, samba, maracatu e xote, além de ijexá, toruá, barravento, puxada de rede e jongo. As apresentações também terão a presença do rabequeiro e percussionista Carlos Ferraz, uma das principais referências da cultura popular e da capoeira angola em Curitiba.

Carlos já integrou o grupo Mundaréu e atuou no espetáculo Rosa Armorial. O artista fez turnês pela Europa com o grupo Forró de Rabeca e fundou a Orquestra de Berimbaus, do grupo Capoeira Angola Resistência e Arte. Também criou o primeiro Festival de Forró de Curitiba e executou o trabalho autoral Carlinhos Ferraz e Forró de Rabeca.

Mais informações sobre o evento clique aqui.

Para mais arte, cultura e entretenimento, continue NA-NUZEANDO!

Quer saber mais sobre o que tá rolando em Curitiba? Fica ligado na nossa agenda cultural clicando aqui.

Gostou deste post? Curta, comente e compartilhe! Não esquece de acompanhar o NA-NUtambém pelo Facebook e seguir a gente no Instagram.

Lembrando que na Loja do NA-NU você encontra quadrinhos, filmes, livros LPs e produtos exclusivos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *