O Legado do mestre e a Cia de Dança Masculina Jair Moraes!

A Cia de Dança Masculina Jair Moraes é a primeira companhia de dança formada exclusivamente por homens no Brasil.

Cia de Dança Masculina Jair Moraes surgiu em 2003 através da Escola de Dança Teatro Guaíra e hoje é composta por 13 integrantes e 10 bailarinos. Idealizada e dirigida pelo bailarino, coreógrafo e grande mestre da dança Jair Moraes a Companhia é uma das referências de dança contemporânea e balé clássico em Curitiba e no Brasil.

Impossível escrever sobre a companhia sem falar também do mestre Jair Moraes. Nascido no Rio de Janeiro, em 30 de outubro de 1946, Jair trilhou um caminho de sucesso e conquista, além de enfrentar vários obstáculos em sua carreira, incluindo, o preconceito. Iniciou sua jornada aos 14 anos, estagiando no Theatro Municipal do Rio de Janeiro, na época sob direção de Hector Zaraspe. Com orientação das mestras de dança Tatiana LeskovaEugênia Feodorova (falecida em 2007), Jair conquistou seu lugar como bailarino fazendo parte do Corpo de Baile do Teatro Guaíra, e atuando como solista no Theatro Municipal de São Paulo, além de viajar pela Europa durante 8 anos como membro do Ballet Gulbenkian (Lisboa).

No início dos anos 80, tornou-se maître-de-ballet e assistente de ensaio do Balé do Guaíra, onde já atuava como primeiro bailarino. Em 1983 iniciou um trabalho de direção com o grupo Raízes, de Caxias do Sul (RS). Nos anos 90 assumiu a direção do corpo de balé do Teatro Guaíra e coreografou diversos espetáculos, entre eles, Canções (1994), Rhapsody in blue (1994), de Ana MondiniOlhos para o mar (1996), de Henning Paar,  O Mandarim maravilho (1996), de Júlio Mota, Coppellius, o mago (1997), de Márcia Haydée, e Viva Rossini (1996), de Tíndaro Silvano.  Jair também foi professor na escola do Teatro Bolshoi, em Joinville, por dois anos.

Jair Moraes se apresentou ao lado de grandes nomes da dança como Ana Botafogo, Nora Esteves, Eliana Caminada e Carla Couto; além de atuar em diferentes partes do Brasil, como diretor, mestre, coreógrafo e consultor artístico. Entre os prêmios conquistados em sua carreira, podemos destacar Revelação do Festival de Nervi (Itália), Melhor Bailarino no Festival de Inverno de Cascais (Portugal), Coreógrafo Revelação pelo Festival Internacional de Trujillo (Peru), nomeado Melhor Coreógrafo no Concurso de Coreografia Havana (Cuba).

A Cia de Dança Masculina Jair Moraes surgiu como um projeto social dentro da Escola do Teatro Guaíra. Jair Moraes tinha o objetivo de fomentar a arte da dança com equidade, trazendo cada vez mais meninos e rapazes para dança. Porém, haviam diversos fatores que não contribuíam de forma a facilitar o processo de inserção e de metodologia do ensino. O preconceito e problemas sociais, foram alguns deles. No início, muito dos bailarinos vinham de outros projetos sociais, sem família, ou com problemas de família, sem estudo.

Jair os incentivou à estudar e os acolheu na dança, despertando o desejo de seguir o sonho, de dentro pra fora, como já havia feito antes em sua carreira: “Toda dança masculina é pobre. Muitos não estudavam e eu obriguei a estudar. Todos tinham problemas com suas famílias. Era muito difícil trazer um rapaz da região metropolitana para Curitiba porque eu não tinha dinheiro para a passagem. No começo, a Associação de Pais e Mestres da Escola de Dança Teatro Guaíra (EDTG) ajudou um pouco. Mas chegou um momento que não conseguia andar com eles da maneira que eu queria. Com rapazes de 14, 15 e 16 anos, você não pode ensinar como a uma menina de 8 anos. Na escola, tem uma turma de meninas de 8, 9 anos com rapazes de 15 anos. Há uma disparidade grande e o rapaz fica inibido e não trabalha. Observei que juntos, só os rapazes, e com um trabalho mais acelerado de dança, eles iam se formando melhor. Eles não aprendiam toda nomenclatura da dança, mas aprendiam a dançar.” (Trecho extraído da entrevista concedida à Revista de Dança de 2013 – confira na íntegra clicando aqui.)

Cia de Dança Masculina Jair Moraes é bastante atuante no cenário da dança nacional. E desde seu surgimento é convidada a fazer a abertura ou o encerramento de importantes festivais de dança pelo país ou apenas para apresentar o seu repertório. Em 2012 participaram da abertura da I Bienal Internacional de Dança de Curitiba onde apresentaram o espetáculo Corpos Ação Movimento e Só. Em 2013 realizaram um intercâmbio com o Ballet del Centro del Conocimento, dirigido pela Maestra Laura de Aira, na Argentina. O convite ocorreu após a assessora de Laura assistir um espetáculo da Cia no Festival de Dança de Santos-SP.

Em 2009 Jair Moraes foi homenageado no 27º Festival de Dança de Joinville por sua trajetória como bailarino, coreógrafo, maître de ballet. No mesmo ano a Cia ganhou o prêmio Klauss Viana de Dança, da Fundação Nacional das Artes em reconhecimento ao seu trabalho como Companhia independente. Em 2014, o mestre Jair participou do registro de um documentário sobre sua vida, realizado pela São Paulo Companhia de Dança (SPCD)  em parceria com o Governo do Estado de São Paulo, que faz parte da coleção Figuras da Dança. O filme foi exibido no canal Curta! e você pode conferir o teaser do documentário clicando aqui.

Em 2015 a Cia de Dança Masculina Jair Moraes foi contemplada com dois projetos para circular no Teatro da Caixa no Rio de Janeiro e em Recife, além das apresentações, a Cia ofereceu aulas de balé clássico, dança contemporânea e urbana, ministradas por Jair e os bailarinos da cia. Em 2016, a Cia estreou o espetáculo Busca através do Ateliê Coreográfico, apresentado gratuitamente aos alunos do Colégio Estadual do Paraná.

Em maio do mesmo ano, a Cia de Dança Masculina Jair Moraes foi convidada a participar do projeto Aplausos, em Joinville/SC, com o espetáculo Tubo de Ensaio Reconfigurado, no Teatro Juarez Machado, apresentando pela primeira vez na história do projeto um repertório inteiramente contemporâneo.

Jair Moraes permaneceu na instituição do Balé Teatro Guaíra como Maitre, exercendo as funções de coreógrafo e diretor da Cia. de Dança Masculina Jair Moraes até a sua morte em 25 de dezembro de 2016, aos 70 anos. Os bailarinos, seus eternos aprendizes, continuam seu legado criando através do movimento e se apresentando em festivais de dança pelo Brasil e em espetáculos pelos teatros da capital paranaense. Atualmente a Cia. de Dança Masculina Jair Moraes segue sob nova direção com Emmanuel Fagundes e também em nova sede, no Espaço Diverso Arte.

Confere um trecho do espetáculo Tubo de Ensaio:

Parte do espetáculo Carmina Burana:

Espetáculo Corpo em Movimento:

Mais sobre a Cia de Dança Masculina Jair Moraes clique aqui.

Mais sobre Dança? Clique aqui. Mais curiosidades sobre arte e artistas? Continue NA-NUZEANDO!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *